Liderança Situacional: Você já aplica esse Conceito?

6 de outubro de 2021
Autor: Redator CR BASSO - Categoria: Blog, Liderança
LIDERANÇA SITUACIONAL

Existem diversos estilos de liderança que um líder pode utilizar para ter melhores resultados com e através da sua equipe. Neste artigo vamos falar sobre a Liderança Situacional. Nesse estilo, o Líder adapta a sua forma de liderar para se adequar ao ambiente, as situações de trabalho e principalmente às necessidades dos liderados e do negócio.

Como se pode notar, há várias teorias sobre os estilos de liderança. A finalidade desses estudos é compreender a relação do líder com seus liderados e observar de que maneira o líder orienta sua conduta e seu estilo de liderança. Tem a finalidade também de expor as características e personalidades dos diferentes estilos. Confira o que será abordado nesse post:

Dos estudos sobre a teoria dos estilos, destacam-se três. São eles: AUTOCRÁTICA, DEMOCRÁTICA e LIBERAL e lembrando que não existe um estilo correto, os três estão certos, porém, o grande desafio do líder é saber quando aplicar cada estilo.

Na liderança autocrática, a ênfase é no líder. Ele determina e os liderados obedecem. No estilo democrático, a ênfase é no líder e nos liderados. O líder ouve a equipe e considera suas contribuições. No estilo liberal, a ênfase é na equipe. O líder deixa o grupo a vontade para se autogovernar. Se for requisitado, ele se posiciona.

Estratégia voltada para resultados 

Mesmo estando ainda bastante atual, a liderança situacional é uma teoria desenvolvida há mais de 50 anos. A autoria do conceito é do cientista comportamental Paul Hersey e do sociólogo e especialista em gestão empresarial Kenneth Blanchard. 

Pode se dizer que o estilo de liderança situacional é uma evolução dos três estilos mencionados anteriormente. É como se tivéssemos a possibilidade de uma visão tridimensional da situação para que o líder escolha o estilo mais apropriado.

A dupla de estudiosos identificou que os líderes de sucesso utilizavam-se de diversas formas para liderar a equipe. E faziam isso, moldando sua ação conforme o perfil de cada profissional.  Os gestores analisados exerciam sua liderança avaliando aspectos como, condições técnicas e inteligência emocional, tudo conectado à situação e ao contexto do momento.

O contexto da liderança situacional faz com que o gestor se posicione de acordo com a situação e com a maturidade de cada profissional da sua equipe. Trata-se de uma maneira mais assertiva de liderar, que tende a produzir ótimos resultados. 

Níveis de Maturidade de uma equipe (M)

Você deve estar se perguntando qual estilo de liderança situacional deve ser aplicada e quando isso deve ser feito? A resposta está justamente em um importante aspecto do ambiente corporativo. Trata-se do nível de maturidade da equipe, que nada mais é do que sua capacidade e prontidão para enfrentar os desafios do dia a dia.  

Maturidade, de acordo com os autores, significa que cada profissional pode ter diferentes níveis o que requer diferentes estilos pelo líder. A maturidade é expressa pela capacidade do liderado em realizar a tarefa em razão de sua competência técnica, conhecimento do trabalho e autoconfiança na realização das tarefas – chamada de maturidade no trabalho.

A maturidade pode ainda ser expressa pelo nível de empenho com que o liderado se envolve na realização da tarefa. É o grau de automotivação e compromisso para que a tarefa seja executada – chamada de maturidade psicológica. Logo, podemos ter diferentes níveis de maturidade dos liderados para diferentes situações.

É importante que o líder avalie criteriosamente se os colaboradores têm competência para fazer as atividades com maior ou menor autonomia. Essa autossuficiência exige conhecimento e responsabilidade, além de muito comprometimento.

Veja, abaixo, a classificação dos 4 níveis de maturidade dos liderados (M): 

M1 – Alto empenho e baixa capacidade: os profissionais desse grupo não possuem conhecimento e habilidade suficientes para conduzir a tarefa de forma autônoma. Isso pode ocorrer porque são novos na empresa, estão iniciando sua carreira e/ou é um trabalho novo, embora tenham disposição para realizar a tarefa; 

M2 – Baixo empenho e alguma capacidade: fazem parte desse grupo, os profissionais que possuem alguma experiência e habilidade, porém, não o suficiente para conduzirem a tarefa com autonomia. Pode-se observar ainda que estes profissionais não se sentem completamente seguros e/ou não demonstram iniciativa para realizar a tarefa; 

M3 – Empenho variável e de média a alta capacidade: nesse caso, estão os profissionais com capacidade quase plena para realizar o trabalho. No entanto, o nível de empenho é variável e às vezes os profissionais não se sentem à vontade e/ou não demonstram disposição para assumir a responsabilidade pela tarefa; 

M4 – Alto empenho e alta capacidade: aqui, falamos dos profissionais capacitados e motivados o bastante para realizar todo o trabalho com autonomia e responsabilidade. 

Podemos, portanto, observar liderados com elevada maturidade psicológica, porém baixa maturidade no trabalho os quais denominamos maturidade nível 1 = (M1).

O líder situacional utiliza estratégias distintas de acordo com o nível de maturidade dos profissionais que assumem cada uma das tarefas envolvidas. O líder situacional vem sendo fonte de inspiração para as mais diversas equipes de trabalho. Colaboradores que se espelham no líder, lidam melhor com os desafios que surgem em suas carreiras e vão, gradativamente, potencializando seu próprio desempenho.   

Estilos de Liderança pelo Líder (E)

A questão que fica é: e você? Já aplica esse conceito na sua vida profissional? E diante das equipes que tem liderado?  Independentemente das suas respostas para estas perguntas, veja os quatro estilos de liderança que o líder poder colocar em prática de maneira alinhada à situação enfrentada e o nível de maturidade observada no liderado: 

E1 – Direção 

Aqui a ênfase é na direção. Entre os quatro estilos de liderança, este é aquele em que os liderados têm menor autonomia. Aqui, o líder ensina à equipe tudo o que deve ou não fazer. E orienta como fazer. As tarefas são supervisionadas ao longo de sua realização até que os profissionais tenham capacidade para realizá-las sozinhos. 

E2 – Orientação 

Aqui a ênfase é na direção e no apoio. Neste estilo, o líder ensina à equipe tudo o que deve ou não fazer, orienta como fazer e faz supervisão frequente dos colaboradores. Além disso, o líder ouve a equipe, oferece estímulos para a execução das atividades e apoio às sugestões de melhoria dos subordinados.  De todo modo, a liderança procura manter a equipe motivada e ao mesmo tempo se assegura que os resultados aconteçam. 

E3 – Apoio 

Aqui a ênfase é no apoio. Nesse estilo, a preocupação maior do líder é de abrir diálogo e se colocar a disposição no apoio aos liderados. Ele atua como um facilitador da atividade, incentivando a equipe a fazer o seu melhor. Entra em cena a forma colaborativa de liderar.

E4 – Delegação  

Aqui não há ênfase nem no apoio, nem na direção, uma vez que o liderado ou grupo de liderados se sentem capacitados e com suficiente nível de empenho para conduzir com excelência as tarefas designadas. A equipe se sente com maturidade para assumir a responsabilidade pelas consequências das decisões. Nesse estilo, o líder delega aos liderados a execuçao das tarefas. 

Resumindo:

  • Para um subordinado M1, o líder fornece direção para desenvolver suas habilidades (E1 – DETERMINAR).
  • Para um subordinado M2, o líder fornece direção e estímulo para continuar a desenvolver suas habilidades e restabelecer empenho (E2 – ORIENTAR).
  • Para um subordinado M3, o líder fornece apoio para estimular a motivação e a autoconfiança (E3 – APOIAR).
  • Para um M4, o líder delega responsabilidades (E4 – DELEGAR).

Observe o mapa de liderança situacional acima para saber qual estilo de liderança utilizar de acordo com o nível de maturidade da sua equipe.

Treinamento para exercer a liderança situacional 

Quando o líder não está preparado para aplicar os conceitos da liderança situacional, é simples. Basta investir no seu desenvolvimento, treinamento e capacitação, de modo a desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes pertinentes ao tema. 

Assim, será capaz de cumprir seu papel de maneira mais correta e se tornar um líder situacional capaz de inspirar e guiar sua equipe à excelência e à alta performance. 

Quer conhecer mais sobre esse tema? Então, leia também nosso artigo sobre os principais estilos de liderança e suas consequências para a organização. 

A CR BASSO Educação atua há 25 anos no segmento de treinamentos e consultoria. Oferecemos um extenso portfolio de produtos (sao mais de 100 cursos) apresentados na modalidade in company e destes, 28 são apresentados na versão de programa aberto.
Desde a pandemia que nos obrigou ao distanciamento social, somos pioneiros na apresentação de cursos no formato ONLINE AO VIVO com um grande diferencial. Nossos cursos são apresentados ao vivo diretamente de Estúdios Profissionais de TV, o que proporciona uma experiência incrível de aprendizagem.

A CR BASSO Educação está há 14 anos eleita entre os 100 Melhores Fornecedores para RH de acordo com pesquisa nacional promovida pela Revista Gestão e RH. Em quatro dos últimos seis anos a CR BASSO Educaçao foi eleita a Melhor Empresa no Segmento de Consultoria e Treinamento do país, o que muito nos orgulha.

Conheça nossos produtos e todo nosso campo de atuação.
Estamos ansiosos por seu contato.

Se você gostou do artigo, compartilhe com seus amigos(as).
Nosso obrigado. Equipe CR BASSO


Autor: Redator CR BASSO - Categoria: Blog, Liderança

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Solicite mais informações
*Fique tranquilo, você não está assumindo nenhum compromisso ao preencher o formulário.
Fale conosco por E-mail, Telefone ou WhatsApp
Segunda à Sexta 8:00 às 17:48
(11) 5591-3000
Atendimento via
WhatsApp CR BASSO
(11) 99984-2611
QR Code WhatsApp CR BASSO